Archive for the ‘Vocativos’ Category

A Ilha de Páscoa e seus totens

abril 4, 2012

A fé que professava não era a sua, meu bem. Naquela época difusa de lacunas silenciosas ou iradas. Hoje, nesse frêmito de dor sem medo. Naquela época de escusas indecisas; hoje, nesse dia claro de dor sem medo.

Aquilo tudo que eu não te dizia, meu bem, você sabe. Aquilo tudo que não te digo hoje, e você ainda sabe. Aquilo tudo que você conhece sem reconhecer, que você fareja sem desconfiar, que eu não digo – que provavelmente não direi nunca -, embora já não oculte.

Enquanto eu lavava com esmero a alma que se formou em algum lugar em mim, enquanto você alimentava a beleza andrógina de seguir um caminho pensado, enquanto decifrávamos mutuamente esses planos incompreensíveis, éle, algo se rompeu. Num ruído seco de fenda amortecida, algo se rompeu.

agosto 1, 2009

Entre os tantos tons de cinza que eu vejo, crio recrio pra coleção de outono inverno ou pra viscosidade do calor de merda que ainda há de fazer por aqui, eu atravessava a cidade tentando voltar (voltar, juro) quando de repente uma variação: sinal verde – acelerei com gana.

Eu estava errada, amor.

Na perpendicular os velozes, cada qual no seu direito, direito de ir, de ir tão rápido quanto possível, de ir, de vir, vir de encontro a mim, vieram.